segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Uma forma de amor


Seria como me perder em ruas frias e desertas ao me afastar dos seus olhos.
Petrificar o sangue como forma de amor eterno.



sábado, 28 de dezembro de 2013

A sua força

Eu te amo pela força que me dá
Pelo o que me sustenta, e não me deixa cair.
Nunca estou sozinha, o seu pensamento invade salas e me encontra.
Você joga o jogo da vida tão leve e facilmente, que eu queria aprender.
É livre de moralidade, certo ou errado.
Hoje eu deixei você falar por mim (...)



segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Liz - Natal

Deitada no sofá, com calça de moletom, blusa velha e cabelo sem pentear, eu pensava em qual lugar do mundo estaria minha verdadeira família. Porque eu tinha uma família,eu TINHA que ter uma família feliz que montavam a árvore de natal.
Alguém que perguntasse o que eu queria de presente. O que eu precisasse.
Olhando o céu cinza, as folhas dançando com vento; o pensamento ia longe.


( Trecho do Conto - Liz )


domingo, 22 de dezembro de 2013

Era só uma menina sozinha

Ela queria a estrela que mais brilhava, aquele brilho forte que abria caminhos.
Um brilho de milênios.
Ela era apenas uma menina com um sonho. Uma menina perdida e com medo que gritava o tempo todo por socorro, mas ninguém ouvia.
Ninguém se importava, afinal era só uma menina, e eles queriam eram salvar suas peles.
Acho que eles nunca saberiam ter uma ESTRELA para cuidar.
Até que uma noite, a menina viu que na lua habitava um ser iluminado, e que no sonho ele disse que seria seu protetor.
E desde então, ela já não estava mais sozinha na vida. E isso foi o maior alívio da sua existência.
Palavra e louvor para todo o sempre seriam sua forma de agradecimento.
Agora a menina sozinha estava pronta para ser exibida para o mundo.
Ela tinha uma força maior que a guiava e ILUMINAVA.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Ela, a poesia

Era preciso criar uma forma de não doer por completo, para não quebrar
por dentro, e não perder a beleza de viver por fora.
Eu sobreviveria. Pensava e insistia.
Eu era uma moça escolhida pela poesia, e isso era o que valia.


 

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Pause o mundo


Essa vida é tão passageira; então eu te peço para que não esqueça de VOCÊ.
Não deixe o tempo passar corrido, assim batido. PAUSE, pause o mundo quando necessário. Volte para si, porque tudo vai embora. Para tudo dá se um jeito. Não entre na falta de paz do outro, permaneça no seu tempo, no seu limite.
E não deixe de fazer as coisas que ama, por NADA e nem por NINGUÉM.



quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Príncipes Modernos

Eu gosto de quem fica meu amigo, de quem troca ideia, fala de filme, música.Eu gosto de quem estabelece uma amizade comigo.
O perfil de quem só faz contato comigo quando tem interesse, não atinge o meu lado esquerdo do peito. 
E eu canso de quem não sabe compartilhar pequenos momentos comigo; como comer um doce em pleno sábado. Sorrir por sorrir e te ouvir cantar desafinado. Isso eu acho bonito.
Tem gente que não sabe me ter. Ah, eu não faço questão de quem aparece só quando faz parte do seu plano machista. É um comportamento um tanto grosseiro.
O meu maior segredo, é que eu fico encantada por Príncipes modernos.



domingo, 1 de dezembro de 2013

Uma força

Eu mudei tanto, não tenho mais o coração disparado, esqueço fácil.
Eu era muito sentimental e isso me deixava de uma certa forma " fraca ", agora algo maior encobriu isso. Uma força de um tigre impiedoso.
E animais selvagens, a gente não tenta domesticá-los.
Respeitamos a beleza e a força.


domingo, 24 de novembro de 2013

Você era meu doce sonho

Eu não te amo mais faz alguns dias.
Eu não te amo mais porque eu queria um presente e você não me deu.
Eu não te amo mais, porque não era um presente palpável e era tão fácil pra você.
Você era o meu doce sonho.E você foi cruel comigo.

P.S: Ainda estou seguindo aquele seu conselho.



quinta-feira, 21 de novembro de 2013

É que hoje eu precisava desse seu jeito (...)

Acabei de ver um tweet e um post seu sobre política nas redes sociais e me deu saudade de você. Tão maduro e intelectual, tão jovem.
Uma saudade que eu não sentia fazia tanto tempo. É que hoje eu precisava desse seu jeito doce de chegar e me mostrar o mundo sem me fazer perder a esperança na vida, nos meus sonhos.
E nós sonhamos tantas coisas juntos no seu apartamento em São Paulo, nós trocamos tantas confidências, você tão especial.
Agora vem chegando o Natal, e eu sempre vou lembrar de nós andando na Rua Angélica, ou indo a pé assistir alguma peça de teatro no Satyros, porque é perto de onde você mora.
Ficou tudo isso em mim, assim sem fim.
Eu não tenho mais um amigo-namorado pra comprar livros comigo, nem ir ao teatro, nem ao cinema e muito menos assistir filme francês.
Você deixou uma lacuna enorme, o que preenche é a nossa amizade que eu acho linda.
Hoje eu precisava ficar horas conversando com você. Precisava do seu silêncio que abraça.


segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Há de ter um coração limpo e doce

O que eu acredito de verdade, é que a vida é tão curta e bela pra gente ficar pensando em quem não gosta ou não gostou da gente.
É assim, é simples. Olha, não tocou o coração. Deixa pra lá.
Esquece e faz uma festa bonita pra você, por ser quem você é, e olha pra frente. Mas por favor, dessa vez olha bonito e com fé.
Há de ter um coração limpo e doce te esperando.
Eu acredito. Acredito até em abraço apertado no meio da noite. Um abraço há de ser o seu.


domingo, 17 de novembro de 2013

Das vivências

Depois de tantas vivências, experiências profissionais e pessoais.
Depois de aprender a observar mais, você adquire a seguinte postura na vida:
Bateu, levou. Perguntou, tem resposta.


quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Acho que te vi chegar

O ideal para aquele dia exaustivo, era te ver naquele Café enquanto lá fora os carros estavam congestionados.
A maravilha da vida daquele dia simples, era te ver com seu boné e seu abismo.
Existe uma distância, existe o ir e vir da Babilônia, as curvas da estrada de Santos.
Uma força que emana de você, essa força é que envolve a natureza.
Olhando pelo vidro, ainda resta um pouco de sol. É horário de verão e foi um dia muito quente aqui.
Ainda resta uma noite inteira e a madrugada para te encontrar.
Fico refém do próximo movimento, do próximo sinal.
Acho que te vi chegar. Te criei mais perto.




segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Um beijo de Fogo

Eu não era mais minha, havia uma sonolência que as vezes persistia por horas.
Parecia que estavam reorganizando algo dentro da minha mente.
Hoje eu estou assim: lenta e com as ideias aleatórias.
Parecia que quando alguma pessoa se aproximava de mim, e acontecia um envolvimento; ela desaparecia misteriosamente. Eu voltava a ficar sozinha de novo.
Muitas vezes cheguei a pensar que era impressão minh
a, mas começou a acontecer com frequência e eu estava começando a ficar cansada daquilo.
Sempre que o cansaço mental atingia­ o ápice do limite humano, por não suportar a prisão mental ; uma nova reprogramação era necessária.
Apesar da dor e solidão, eu estava disposta a pagar o preço. 


[ trecho do conto - Um beijo de Fogo ]




quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Bossa Nova

Escrever sobre você, merece bossa nova como música de fundo.
Porque você tem o olhar que preenche o meu vazio de estrela que vira pó na solidão.
Sua beleza é feita de poesia, imortalidade dos grandes mestres.

E você só veio acrescentar cor, palavras e liberdade à minha vida.


sábado, 12 de outubro de 2013

Café Networking com Juliana Sfair

Vem aí !

CAFÉ NETWORKING com Juliana Sfair

A escritora Juliana Sfair convida você para um bate-papo descontraído, realizando uma travessia divertida pelo tema "O que te faz bem ?"

Buscar o que mais te alegra, fazer o que te realiza. Ler, estar entre amigos, aprender.
Um café, um projeto, um estímulo.

Psicóloga e Consultora convidada: Mariana Bonato

Local: Espaço Café
Rua: Vicente de Carvalho, 1156
Dia: 15/10 ( terça-feira )
Horário: 19:30 

Ribeirão Preto/ SP

sábado, 5 de outubro de 2013

Liz é meu nome !


Liz é meu nome, e eu escrevo agora num dia chuvoso com pensamentos loucos e uma vontade de ser mais.
Só que antes eu vou contar a minha trajetória de vida, vida que é uma eterna roda gigante.
Há alguns anos atrás eu jurava não ser nada, apesar de dois diplomas e inglês fluente. Hoje ainda não sou muita coisa, mas já conquistei um número considerável de leitores.
Leitores que deixam seus olhos percorrerem minhas palavras, leitores que enxergam através das minhas experiências, suas vidas também. Acuso o tempo por ser um vilão irônico.
Atualmente eu moro numa pequena cidade na Inglaterra, mas antes de conseguir adentrar o santuário do silêncio e solidão, eu passei por algumas derrotas amorosas.
Passei por eventos que eu não queria ir, mas FUI! Fui com vontade de sair correndo porque eu não combinava com as pessoas e elas também não combinavam comigo no quesito cultura.
No quesito arrogância e futilidade, elas ganhavam de mim. Dane-se.
Acho que ainda estou um pouco acima do peso, porque quando vou à Londres compro e experimento todos os doces que vejo pela frente e isso me faz feliz com o quadril grande.
Hoje eu esqueci de tomar meu remédio para depressão, hoje eu esqueci de ponderar as palavras também.
Mencionei acima “derrotas amorosas”, para causar curiosidade. Muitos adoram achar que você não tem sorte no amor e acham que tem mais sorte do que você ,por terem aquele amor platônico em estado vegetativo.
Muitos adoram a mentira. Muitos preferem o engano.
Aproveitando a tarde bonita, silenciosa e sincera quero dizer que alguns homens precisam de algumas cápsulas de senso, porque se tem uma coisa que eu abomino é gente sem noção.
Não sei se essa raça sem noção existe ainda nas terras brasileiras, mas se existir vamos tratar de exterminá-la.
Eu tento ao máximo manter minha privacidade para não expor meus amigos (que são pouquíssimos). Depois que mudei de país também não fiz muitos amigos. Problema meu!
Sim, eu sinto saudades do Brasil! Sinto saudades do meu antigo emprego, saudades da minha cachorra, da minha cama quentinha e do café que eu tomava com a minha amiga.
Os dois livros que lancei foram traduzidos para o inglês e eu vendo na medida do possível. Sem insistir.
Quem quer comprar, eu escrevo a dedicatória e ficamos amigos. Ou não. Enfim, deixo assim!
Agora que comecei a cultivar plantas, fiquei mais calma. Tomo chá de camomila todos os dias e amo mais um pouco os meus semelhantes. Efeitos do chá.
Por falar em chá, fui convidada para um Chá das cinco! Relutei comigo mesma por uma semana para decidir se iria ou não. Fui.
Fui e deixei acontecer. Só comentei que era escritora porque perguntaram como conseguia morar neste vilarejo. Aí para não ficar sem jeito e confessar que tenho uma mente suicida, eu disse que prefiro lugares sossegados para escrever.
Ah ! E quando eu não tomo o antidepressivo para ficar feliz, eu tomo alguns tranquilizantes e durmo a maior parte do dia. Dormir também é felicidade.






terça-feira, 17 de setembro de 2013

Indolor - Incolor


Os pensamentos naquela tarde agitavam-se com o vento. Era o lado escuro de cada um que ameaçava brotar.
Compenetrados em suas vidas superficiais; o que estimulava era o viria acontecer: o próximo dia, o próximo verão, a próxima festa.
Eu est
ava no meio de tudo isso e também queria pausa. Queria liberdade.
Mas ninguém é tão livre o quanto pensa na selva do capitalismo selvagem.
Sobrevivemos com sorriso meio falso. No fundo, morremos antes; de medo.
Indolor é a alma, que já não existe.
Incolor é o tédio, que persiste.




segunda-feira, 16 de setembro de 2013

DICA !

Nunca esqueçam disso, nunca deixem ninguém humilhar vocês !!!




Laylah - A moça platinada

A estrela mais velha que dominava o antigo mundo, deu a ordem para o meu nascimento. 
E desde então, eu passei a conviver com humanos e com os Deuses. Mas primeiro eu preciso contar por qual Deus eu me apaixonei e quem teve que morrer.
É coisa de estrela e mistério, chega a doer (...)




quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Vamos viver por nós

Penso e repenso como muita gente consegue ficar presa a sentimentos antigos,gente que já foi embora há tempo.Embora não no sentido geográfico,mas relacionado ao desapego,seguiu a vida, construiu outras moradas.
Não vale a pena,não vale
 o coração disparado e muito menos lembranças que só você guardou na sua doce inocência de menina.
Mulher tem esse comportamento de encaixotar sentimentos,construir museus de esperanças amorosas.

Meninas-Mulheres:Vamos em frente,vamos viver por nós,pelo o que somos e já conquistamos.
E saber que ainda podemos muito mais.




segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Administrar a vida - Desafio

Administrar a vida, cumprir seus próprios prazos e manter-se motivado. 
Eis o grande desafio dos que querem muito, dos que querem chegar ao seu objetivo.
Para ser brilhante é necessário passar uma parte do tempo recluso, anotando metas.
Nunca gostei de pessoa de barulhentas, efusivas demais. Pessoas assim, comprometem a concentração.
Deixar sua marca na existência, requer um pouco de solidão. 
Ausência de tumulto.



domingo, 8 de setembro de 2013

Aquele Garoto


Eu amava aquele garoto, ele era a minha respiração e meu doce desassossego.
Ele era mais que um golpe de marketing; era o apocalipse que destruía e depois viciava a sua mente.
O meu eterno pôr do sol, meu amor das quatro estações.
Aquele garoto era o meu apego. Um feiticeiro das tardes de Domingo.
Eu amava aquele garoto mesmo antes de encontrá-lo.
Aquele garoto era ilusório e tinha o mar no olhar. Era vago, livre, feliz.

 

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Leveza da Palavra

É poesia, e poesia não necessita de explicação científica.
Poesia é o avesso da razão. Tem que sentir, tocar.
Se acaso não tocar, deixa passar. Deixa o outro se encantar.
Sempre haverá alguém para sonhar com a leveza da palavra e voar.



domingo, 1 de setembro de 2013

Setembro

Chegou Setembro de mansinho, nem tão esperado por mim como salvação, porque sempre espero mais de tudo a cada dia, independente do mês.
É porque eu quero demais. Quero tudo com pressa, haja floral.
Vou querer flores para enfeitar a vida, perfumes para tranquilizar a mente.
Cores, muitas cores. Cores e suas funções. Cromoterapia para curar.
A força mestra que rege o Universo, te recebe Setembro.
 

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Cheiro de Hortelã


Fiquei,sobrei. É sempre assim,eu fico sozinha por ser quieta quandoo mundo clama por vozes.
Fico de lado desde criança, menina sensível.Menina sonhadora.
Tem problema não.Amanhã eu recomeço com cheiro de hortelã e verdades.
Comigo sempre foi diferente,mágico.
Amanhã eu coloco pessoas em seus devidos lugares com minha ausência,meu silêncio.
Hoje eu não recebi palavras.


Dica - Coaching

Organizar o tempo, sem pressão. Eu acredito que flui melhor qualquer trabalho.



terça-feira, 27 de agosto de 2013

Alter Ego

Eu encontrei minhas bonecas, estavam guardadas dentro de uma sacola.
Uma estava vestida de noiva; e é ela que eu quero te dar.
Penso que se casar com você, um alter ego mais destemido possa nascer.
Eu preciso dessa outra persona para enfrentar o lado cruel do mundo, dos humanos.
E só você pode me dar esse poder. Só você pode me iluminar, me libertar.
Hoje só tinha uma estrela no céu, mas a nossa lua de mel está próxima.
(Gosto de você, porque sabe decifrar subtextos. Prazer intelectual viciante).





sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Busca o que te move

Deixa um vento de paz soprar aí .
Sintoniza a energia, busca o que te move e vai pra vida.
Erga a cabeça e faça por merecer.
Só quem se move chega ao objetivo.
Tenha fé,a SUA fé.



Girassol


Livro: Adorável Pecadora 



sexta-feira, 16 de agosto de 2013

De tudo que observo e sinto (...)

A fama pode ser a derrocada, uma grande cilada para quem não tem preparo psicológico e emocional (agradeço ao teatro por ter me ensinado tudo isso).
A fama é assim, te deixa frágil (porque todos querem um pouco de você).
A fama é assim, te deixa com o ego nas alturas (saiba dominá-lo).
As pessoas criam uma imagem sua, as pessoas criam a sua fortaleza e você é tão igual às outras pessoas.
Para continuar, é preciso acima de tudo ter amigos para te acolher e te aconselhar.
Para continuar é preciso AMAR quem lê seus textos e gosta do seu jeito.

Na minha concepção; escritor não tem FÃ, tem LEITORES. 




quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Este texto foi encontrado num baú, em um reino distante (...)


É porque você é tão imenso no mundo, tão seguro, que eu fico olhando sem vontade de parar.
Argumenta, escreve bonito e sabe usar o ponto e vírgula corretamente nas conversas informais 

(fico em estado de encantamento com isso). Você escreve versos.
Alquimia pura no âmago da letra que nunca diz o que realmente sabe, mas eu desconfio.
Mistério na foto, na voz, no abraço que dá vontade de ficar pra sempre.
O sonífero mais eficaz que já existiu.
Eu sonho a poesia da sua missa negra.




sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Biografia do Tempo

Era o filme Alice no País das Maravilhas no cinema, era o jeito tímido e educado. Críticas sobre a política, a opinião jornalística.
Os poemas que escrevia e me mostrava, a paixão pela literatura.
Depois começaram a chegar os livros pelo correio, que você não colocava remetente só para me deixar curiosa. Mas quem me presentearia com livros comprados em São Paulo ? Quem compraria livros dos meus autores preferidos ? Estão todos guardados. Os quadros também estão.
Teatro Renaissance sábado a noite em São Paulo, monólogo que falava da vida de Clarice Lispector. Mais um dos seus presentes culturais.
Ficou tudo impresso na biografia do tempo, ficou bonita demais a nossa amizade depois do romance.
Na sala da sua casa, assistindo O Turista como sua quase-melhor amiga, conversando sobre outros amores e planos.
Espero ser a sua amiga-escritora favorita, porque você é, e sempre será o meu amigo-jornalista adorável.
Vai dizer que a nossa história não é um filme francês que você tanto aprecia ?



quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Cara Limpa

Te ver sorrindo e conquistando o seu espaço tão de cara limpa, é o que me faz acreditar em gente que vai a luta sem medo.
Essa vida é um jogo, mas não fique insegura porque você vai aprender. E se não entender as regras, eu te explico. 



quarta-feira, 7 de agosto de 2013

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Escritor

Escrevendo eu jogo o peso da vida no papel, crio um futuro. Escrevendo eu esqueço os efeitos nocivos de um mundo doente.


quarta-feira, 24 de julho de 2013

Dádiva e Sofrimento

Gosto de reler textos antigos, lembro perfeitamente do meu estado emocional e psicológico.
Escrever tem essa dádiva e sofrimento ao mesmo tempo, também não acredito em escritor feliz.